IBGE TRAZ BOAS E MÁS NOTÍCIAS SOBRE VENDAS DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

Primeiro, as más notícias.

Segundo dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os desempenhos das vendas de materiais de construção apresentaram desaquecimento, na comparação março com fevereiro de 2021, com decréscimo de 5,6%, em volume de vendas (real/nominal deflacionado), e 4,2%, nominalmente (volume de vendas inflacionado).

Ainda assim, no acumulado dos comparativos “mês anterior”, durante os meses de isolamento ou restrições sociais, logo, de março de 2020 a março de 2021, houve crescimento de 13,9%, em volume de vendas, e 37,6%, nominalmente.

Porém, no acumulado anterior, de março de 2020 a fevereiro de 2021, o crescimento estava em 20,8%, em volume de vendas, e 44,1%, nominalmente, demonstrando, ainda que em patamares significativamente positivos (principalmente dada a conjuntura socioeconômica), a desaceleração nas vendas do comércio do segmento.

Agora, as boas notícias

Ainda segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do IBGE, nas comparações mesmo mês do ano anterior, ou seja, março de 2021 com março de 2020, houve crescimento de 33,4%, em volume de vendas, e 62,4%, nominalmente.

Já, nas comparações acumulado ano primeiro trimestre de 2021 com primeiro trimestre de 2020, houve crescimento de 20,4%, em volume de vendas, e 43%, nominalmente

Em ambas bases comparativas, foram os melhores desempenhos do segmento na série histórica iniciada em janeiro de 2012.

No mês de março, o recrudescimento da pandemia e consequente fechamento das lojas físicas em muitas localidades, conjugados com a descontinuidade do auxílio emergencial, além de emprego, renda e confiança dos consumidores em baixa, impactaram negativamente as vendas do comércio de materiais de construção.

No entanto, essa perda de força deve ser relativizada, devido aos resultados de vendas nos comparativos com o mesmo mês do ano anterior e mesmo período acumulado do ano anterior, nos quais o segmento apresentou os melhores desempenhos percentuais do comércio brasileiro.

No ano de 2021, ao menos até o mês de maio, tais resultados permanecerão significativamente positivos, devido às abruptas quedas nas bases comparativas de março, abril e maio de 2020, meses fortemente impactados pelas primeiras medidas de isolamento e restrições sociais.

Também continuou contribuindo para os resultados atuais ano, o “ficar em casa”, e consequentemente, as reformas e melhorias advindas dessa permanência, com utilização do lar para atividades outrora desempenhadas fora, e ausência de dispêndios com serviços diversos (lazer, esportivos, culturais etc.).

E, a julgar pelo andamento da vacinação, as pessoas ainda permanecerão em seus lares por um bom tempo.


A Fundação de Dados é um sistema de inteligência de mercado especializado no consumo de materiais de construção, móveis e itens para o lar, que realiza pesquisas e estudos próprios, multiclientes e customizados.

Newton Guimarães

Head
newton@fundacaodedados.com.br

Clientes Parceiros