PIB DA CONSTRUÇÃO ENCOLHE 2,8% DURANTE O ISOLAMENTO SOCIAL

Utilizando como base o recém divulgado Sistema de Contas Nacionais Trimestrais (SCNT), como se comportou o PIB da Construção, comparado com o PIB Brasil, do comércio e das indústrias durante a pandemia?

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB Brasil cresceu 1,2%, no comparativo primeiro trimestre de 2021 com quarto trimestre de 2020, posicionando o PIB apenas 0,2% abaixo do encerramento do ano de 2019 (a partir do primeiro trimestre de 2020 iniciaram as medidas de isolamento e restrições sociais).

Com isso, o PIB do País praticamente retornou ao mesmo nível pré-pandemia.

Já, o PIB da área de atividade Indústrias de Transformação, decresceu 0,5%, no comparativo primeiro trimestre de 2021 com quarto trimestre de 2020. Mesmo assim, o PIB encontra-se 4,3% acima do encerramento do ano de 2019. Em especial, esse desempenho ainda é muito influenciado pelo crescimento de 24,6%, no comparativo terceiro trimestre com segundo trimestre de 2020.

Assim, as indústrias de transformação do País encontram-se num nível acima do pré-pandemia.

Na sequência, o PIB da área de atividade Comércio, em linha com o PIB Brasil, cresceu 1,2%, no comparativo primeiro trimestre de 2021 com quarto trimestre de 2020, posicionando o PIB 3,4% acima do encerramento do ano de 2019.

A exemplo das industrias de transformação, o comércio também se encontra num nível acima do pré-pandemia.

Por fim, o PIB da Construção, que engloba, de maneira geral, todos os agentes da cadeia que atuam direta ou indiretamente na execução de obras de infraestrutura e construções residenciais, comerciais, entre outras.

Houve crescimento de 2,1%, no comparativo primeiro trimestre de 2021 com quarto trimestre de 2020, porém, tal desempenho não foi suficiente para recuperar as perdas anteriores, principalmente o decréscimo de 7,5%, no comparativo segundo trimestre com primeiro trimestre de 2020, posicionando o PIB 2,8% abaixo do encerramento do ano de 2019.

Dessa maneira, em termos de valores, ao final do primeiro trimestre de 2021, houve uma perda de R$5,9 bilhões, em relação ao fechamento do PIB da Construção no ano de 2019, em R$212,5 bilhões (em valores correntes, base participação no valor adicionado a preços básicos).

Pode-se creditar essa queda, principalmente, às obras de infraestrutura, devido à baixa capacidade de investimentos públicos e incertezas no ambiente político-econômico para investimentos privados.

O que só reforça a importância da execução de uma agenda sólida de concessões e privatizações, e, para o bem do País – com a recuperação econômica cada vez mais evidente –, num ambiente político menos conflituoso.


A Fundação de Dados é um sistema de inteligência de mercado especializado no consumo de materiais de construção, móveis e itens para o lar, que realiza pesquisas e estudos próprios, multiclientes e customizados.

Newton Guimarães

Head
newton@fundacaodedados.com.br

Clientes Parceiros