NO ANO, COMÉRCIO E CONSTRUTORAS IMPULSIONAM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

Pode-se considerar que a indústria de materiais de construção é sustentada pelo tripé comércio (varejo e atacado), edificações residenciais/empresariais e obras privadas e públicas de infraestrutura.

Analisemos, então, as duas primeiras “pernas” desse tripé, haja vista que desconhecemos dados fidedignos sobre o desempenho das obras de infraestrutura em 2021.

Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), no comparativo acumulado ano maio de 2021 com acumulado ano maio de 2020, o faturamento do comércio de materiais de construção cresceu 25,6%, em volume de vendas (nominal deflacionado), e 52%, nominalmente (volume de vendas inflacionado).

Esse resultado expressivo deve-se muito a base comparativa deprimida dos meses de março, abril e maio de 2020. Porém, mesmo assim, se considerarmos o desempenho somente no ano de 2021, ou seja, de janeiro a maio, o crescimento está em 4%, em volume de vendas, e 13%, nominalmente.

Já, relativamente às vendas e lançamentos de unidades residenciais novas analisaremos os dados Secovi-SP, relativos à Grande São Paulo, pois resultados de abrangência nacional do segundo trimestre, a serem divulgados pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), estarão disponíveis apenas em meados de agosto.

Na Grande São Paulo – região responsável por 16,9% do PIB Brasil (capital 10,2%, e outras 38 cidades próximas 6,7%) –, no comparativo acumulado ano maio de 2021 com acumulado ano maio de 2020, houve crescimento de 53,2%, nas vendas de unidades residenciais novas, passando de 17.792 unidades, em 2020, para 27.254, em 2021.

Já, relativamente aos lançamentos de unidades residenciais novas, no mesmo período comparativo, houve crescimento de 180,5%, passando de 8.600 unidades, em 2020, para 24.121 unidades, em 2021.

Também, nessa análise devem-se considerar as bases comparativas deprimidas de março, abril e maio de 2020, principalmente, relativamente aos lançamentos, quase paralisados no início da pandemia, até mesmo para as construtoras e incorporadoras aguardarem o impacto nas vendas dos imóveis em estoque.

Assim, consequentemente, também no comparativo acumulado ano maio de 2021 com acumulado ano maio de 2020, segundo a Pesquisa Industrial Mensal (PIM), no indicador de índices especiais Insumos Típicos da Construção Civil (agregado dos produtos identificados com a produção do setor da construção civil) houve crescimento na produção física de 26,9%.

Já, na classe industrial selecionada Cimento (Portland, exceto branco), no mesmo período comparativo, houve crescimento na produção física de 22,1%.

Também nas indústrias da construção, os expressivos crescimentos anuais serão moderados, conforme as bases comparativas deprimidas de 2020 começarem a ficar mais robustas.

No entanto, mesmo com as reduções durante o ano desses “percentuais chineses”, as perspectivas para construtoras, comércio e indústria de materiais de construção são de fechamentos positivos em 2021.


A Fundação de Dados é um sistema de inteligência de mercado especializado no consumo de materiais de construção, móveis e itens para o lar, que realiza pesquisas e estudos próprios, multiclientes ou customizados.

Newton Guimarães

Head
newton@fundacaodedados.com.br

Clientes Parceiros