PRIMEIRO SEMESTRE CONSOLIDA VENDAS DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO NA PANDEMIA

O IBGE recém-divulgou os resultados do comércio brasileiro no primeiro semestre, fornecendo indicativos do comportamento de preços e vendas de materiais de construção para o restante do ano.

Na mais recente Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) – que nos dados nacionais agrega os desempenhos físicos e digitais –, na passagem de maio para junho de 2021, houve crescimento de 1,9%, em volume de vendas (real/nominal deflacionado), e decréscimo de 0,4%, nominalmente (volume de vendas com inflação), no faturamento do comércio de materiais de construção Brasil.

O percentual maior em volume de vendas do que nominal indicou no período para uma tendência de acomodação nos preços, que acabou, segundo o IPCA do mês seguinte, julho, não se confirmando, com novos e expressivos aumentos: 1,38%, no agregado dos itens de materiais de construção contra 0,96%, na inflação geral.

Assim, permanecem os preços pressionados.

Retomando o faturamento, em volume de vendas, no acumulado março de 2020 (primeiro mês das medidas de isolamento social) a junho de 2021, o comércio de materiais de construção cresceu 23,5%. Já, nominalmente, no mesmo período, o comércio de materiais de construção cresceu 48,6%.

Somente nos seis primeiros meses do ano de 2021, o crescimento em volume de vendas está em 5,1%, e nominalmente, em 10,1% (base dezembro 2020).

Por fim, no acumulado ano primeiro semestre de 2021 comparado com primeiro semestre de 2020, o comércio de materiais de construção cresceu 21,5%, em volume de vendas, e 48%, nominalmente, sendo esse último, o maior crescimento com inflação entre as dez áreas de atividades do comércio brasileiro (Varejo Ampliado).

Tais crescimentos, embora expressivos, foram maiores no comparativo anterior, acumulado ano maio de 2021 com acumulado ano maio de 2020, em 25,6%, em volume de vendas, e 52%, nominalmente. Essas reduções dos desempenhos anuais serão cada vez mais intensas, considerando a forte recuperação das vendas na base comparativa segundo semestre de 2020, conjugada com a alta do desemprego e perda da renda da população no ano corrente.

Ainda assim, as perspectivas para o fechamento anual são positivas, o que seria o quinto ano consecutivo de crescimento do comércio de materiais de construção.

Apenas para referência, no acumulado dos últimos quatro anos (2017 a 2020), o faturamento das vendas cresceu 30,5%, em volume de vendas, e 47,8%, nominalmente.


A Fundação de Dados é um sistema de inteligência de mercado especializado no consumo de materiais de construção, móveis e itens para o lar, que realiza pesquisas e estudos próprios, multiclientes ou customizados.

Newton Guimarães

Head
newton@fundacaodedados.com.br

Clientes Parceiros