BRASILEIRO REFORMA MORANDO

Recém-finalizamos a Pesquisa 1 | 2021, executada junto com a Best Forecast Marketing e Modelagem, parceiro quantitativo e estatístico desde 2015 para as pesquisas e trabalhos especializados Fundação de Dados.

Nessa onda, a sétima consecutiva, pesquisamos os hábitos e atitudes de consumidores que haviam realizado reformas e obras residenciais durante o período de isolamento social.

Foram aplicadas 1.021 entrevistas, distribuídas em quatro regiões do País, no intuito de melhor entender a jornada de compra desses consumidores e a utilização combinada dos meios físicos e digitais para pesquisas, compras e entregas dos produtos.

Do total de entrevistados, 84,6% pintaram; 66,1% trocaram/colocaram pisos e revestimentos para parede; 61,9% reformaram/realizaram instalações elétricas; 49,9% fizeram obras básicas/estruturais (construíram ou ampliaram); 47,9% reformaram/realizaram instalações hidráulicas; 44,7% trocaram/colocaram louças sanitárias e, finalizando, 40,4% realizaram outros tipos de intervenções que não as mencionadas anteriormente, numa média de quatro tipos de intervenções.

Caso o respondente não atingisse um mínimo de dois tipos de obras, a pesquisa não era aplicada, haja vista que, o objetivo era pesquisar pessoas que realizaram reformas, ampliações e construções residenciais, e não manutenções, reparos e melhorias domésticas.

Assim, tanto no isolamento social como nas seis pesquisas anuais anteriores, os três tipos de intervenções permanecem os mesmos: pintura, troca/colocação de pisos e revestimentos e reforma/realização de instalações elétricas.

A maior parte, 71,7%, fizeram a obra/reforma morando no imóvel. Nos recortes por classe social, na classe A caia para 60,8%, na classe B ficava em 70,5%, e na classe C, subia para 73%.

Por outro lado, 28,3% fizeram a obra/reforma morando em outro local. Nos recortes por classe social, na classe A subia para 39,2%, na classe B ficava em 29,5%, e na classe C, caia para 27%.

Porém, independentemente do poder aquisitivo, a indústria da construção e reforma é principalmente movimentada por consumidores que fazem obras residenciais morando no local, com todas as complicações que isso significa.

Mediante tal perfil, teriam oportunidades para oferta de serviços que possam amenizar os transtornos causados às famílias nesse período?


A Fundação de Dados é um sistema de inteligência de mercado especializado no consumo de materiais de construção, móveis e itens para o lar, que realiza pesquisas e estudos próprios, multiclientes ou customizados.

Newton Guimarães

Head
newton@fundacaodedados.com.br

Clientes Parceiros